Continuamos a fornecer os nossos medicamentos a pessoas que vivem com diabetes e outras doenças crónicas graves, a salvaguardar a saúde dos nossos colaboradores e a tomar medidas para apoiar os profissionais de saúde no combate contra a COVID-19.

À medida que a pandemia se altera, surgem novas questões e preocupações e queremos mantê-lo atualizado.

Linha de montagem de canetas de insulina

Atualmente, não estamos a ter quaisquer problemas de fornecimento. Estamos bem preparados para situações como esta e temos uma política de armazenamento que assegura o fornecimento a longo prazo.

Isto é importante, pois estamos a lidar com medicamentos essenciais de que doentes em todo o mundo dependem diariamente.

Estamos cientes de que as autoridades de saúde e farmácias estão a fazer o seu melhor para assegurar a disponibilidade de medicamentos essenciais durante a COVID-19 e podemos assegurar que as nossas reservas se encontram em níveis normais. Partilharemos as nossas atualizações à medida que formos acompanhando a situação.

Homem com máscara de proteção a olhar pela janela

Se você, ou alguém que conhece, vive com diabetes, obesidade ou outra doença crónica grave, terá certamente algumas preocupações. Ao estar a ser pedido a muitos de nós para ficar em casa, levantam-se questões sobre preocupações físicas e mentais.

Queremos partilhar dicas e sugestões que esperamos que sejam úteis.

Diabetes e COVID-19

Obesidade e COVID-19

Técnico de laboratório da Novo Nordisk

Para proteger a saúde e segurança dos nossos colaboradores, seguimos os conselhos e orientações das autoridades de saúde locais. Em alguns países e comunidades onde o risco de infeção ainda é elevado, solicitamos aos colaboradores que trabalhem a partir de casa.

Durante estas condições de trabalho extraordinárias, asseguramos que os colaboradores têm apoio para se manter ativos, trabalhar ergonomicamente a partir de casa e se adaptar a um local de trabalho digital.

Estamos a tomar medidas para que os colaboradores que trabalham nos nossos locais de produção se mantenham seguros e sejam capazes de manter o distanciamento físico recomendado enquanto estão a trabalhar.

Profissional de saúde com doente, estudo PIONNER da Novo Nordisk

Na Novo Nordisk, as prioridades ao conduzir ensaios clínicos são a segurança dos doentes e a integridade dos ensaios clínicos. Durante o período de confinamento, em que houve maior restrições no acesso aos hospitais, foi possível prosseguir todos os nossos ensaios clínicos previamente iniciados e não se verificaram atrasos significativos naqueles que estavam a terminar.

Sempre em estreito diálogo com os investigadores de ensaios em todo o mundo, contámos com os seus pareceres para interromper qualquer recrutamento de ensaios em curso e minimizar as visitas dos doentes aos centros, fazendo com que coincidissem com as suas consultas médicas habituais, aliviando ao máximo a pressão sobre os sistemas de saúde.

Na situação atual, atuando em conjunto com os centros, investigadores e autoridades relevantes para encontrar sempre as melhores soluções, foi já possível iniciar novos ensaios clínicos. 

A Novo Nordisk está a apoiar os esforços das autoridades de saúde nas áreas afetadas através de várias iniciativas, incluindo donativos, partilha de matérias-primas para produção de desinfetantes de mãos e abertura dos nossos laboratórios para ajudar nos testes COVID-19.

Estamos a monitorizar a situação global com muita atenção para assegurar a tomada de medidas adequadas em função do desenrolar da situação.

Estamos cientes de que as autoridades sanitárias e farmácias de alguns países estão a fazer o seu melhor para assegurar a disponibilidade de medicamentos para aqueles que deles necessitam, mas podemos assegurar que as nossas reservas se encontram em níveis normais.

Isto significa que poderá haver limites à quantidade de medicamentos ou dispositivos que um doente pode obter numa determinado momento. É importante que levante os seus medicamentos ou dispositivos de acordo com a sua necessidade habitual, para que todas as pessoas que vivem com diabetes e outras doenças crónicas tenham acesso aos seus medicamentos essenciais.

Estamos em estreito contacto com os nossos parceiros, incluindo autoridades de saúde e farmácias, para monitorizar os seus níveis de inventário.

A situação está em constante evolução, mas atualmente não estamos a sofrer quaisquer restrições de abastecimento. Estamos bem preparados para situações como esta e temos uma política de inventário que salvaguarda o fornecimento a longo prazo. Isto é importante, uma vez que os nossos medicamentos são necessários todos os dias para doentes em todo o mundo. 

Para proteger a saúde e segurança dos nossos colaboradores, seguimos as recomendações das autoridades de saúde locais para assegurar condições de trabalho seguras.

Para os colaboradores que continuam a trabalhar remotamente, asseguramos apoio para que se mantenham ativos, trabalhem ergonomicamente a partir de casa e se adaptem a um local de trabalho digital.

Estamos a tomar medidas para proporcionar condições de trabalho seguras nos nossos locais de produção e garantir o distanciamento físico recomendado durante o trabalho. Solicitamos a permanência no escritório ou na fábrica apenas aos colaboradores para quem a Covid-19 não é considerada um risco de saúde.

Se tiver quaisquer perguntas ou preocupações sobre a disponibilidade ou acessibilidade dos nossos medicamentos durante a pandemia de COVID-19, por favor contacte o nosso escritório local no seu país.

Clique aqui para obter uma visão geral dos nossos escritórios globais

Reconhecemos o impacto da pandemia global de COVID-19 na vida das pessoas em todo o mundo e, embora as pessoas com diabetes e/ou obesidade não estejam em maior risco de contrair COVID-19 do que a população geral, a COVID-19 pode provocar sintomas e complicações mais graves em algumas pessoas com diabetes, obesidade e complicações associadas, como doenças cardiovasculares.

Atualmente, não existe evidência de risco acrescido de infeção por COVID-19 em pessoas com obesidade. A evidência sugere que, relativamente à gripe sazonal comum, pessoas com obesidade com um IMC ≥ 40 kg/m2 têm risco acrescido de complicações graves. O Centro para o Controlo de Doenças (CDC) Americano e a Entidade de Saúde Pública do Reino Unido consideram que pessoas com obesidade grave (IMC ≥ 40 kg/m2) têm um risco acrescido de complicações graves por COVID-19.

Se a diabetes for bem gerida, o risco de doença grave por COVID-19 é aproximadamente igual ao da população geral.

Para continuar a apoiar as pessoas que vivem com diabetes e obesidade durante este período, pode encontrar apoio e informação adicionais nas nossas páginas de apoio ao doente:

Diabetes: Diabetes, e agora®

Obesidade: A Verdade Sobre o Peso®

Os riscos são semelhantes para pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2. Pessoas com diabetes tipo 1 têm risco acrescido de cetoacidose diabética (CAD) se infetadas com uma infeção viral.

Reconhecemos o impacto da pandemia global de COVID-19 na vida das pessoas em todo o mundo, incluindo pessoas que vivem com diabetes. As pessoas com diabetes devem ter preparado o seguinte:

  • Informação de contacto do seu prestador de cuidados de saúde.
  • Reserva adequada de medicamentos e consumíveis para a monitorização da glicemia em casa.
  • Reserva adequada de hidratos de carbono simples, como refrigerantes, mel, geleia, doces ou gelados, para ajudar a manter os níveis adequados de açúcar no sangue se estiverem em risco de quebra glicémica e demasiado debilitadas para comer.
  • Glucagom e tiras de cetona, em caso de controlo glicémico deficiente (níveis elevados ou baixos de glicose no sangue).

Os doentes devem também estar atentos a sinais de alerta de emergência, como: dificuldade respiratória ou falta de ar, dor ou pressão persistente no peito, confusão ou incapacidade de despertar, lábios ou rosto azulados.

Se uma pessoa com diabetes desenvolver ou suspeitar de sintomas de COVID-19, deve seguir as recomendações das autoridades locais. Em alguns países, os doentes são aconselhados a receber assistência médica imediata. No entanto, recomenda-se que não se desloquem diretamente ao hospital, para evitar a transmissão do vírus a terceiros e permitir a priorização por parte das autoridades de saúde.

Ligue para a SNS24 ou fale com o seu médico e forneça a seguinte informação:

  • Sintomas;
  • Leituras de glicose e cetona (se disponíveis);
  • Registo do consumo de líquidos.

Siga os conselhos da sua equipa de cuidados de diabetes relativamente à utilização da medicação. Mantenha-se hidratado e tenha bebidas não adoçadas à mão; e tente comer porções mais pequenas mas com maior frequência.

Pessoas com diabetes infetadas com o vírus podem sofrer uma deterioração do seu controlo glicémico durante a doença. Os doentes devem seguir as “orientações para dias de doença” para melhorar a sua descompensação da diabetes.

Siga sempre os conselhos das autoridades locais. A Associação Americana de Diabetes (ADA) sugere as seguintes medidas para estes doentes:

  • Siga os conselhos do médico (ou da equipa da diabetes) relativamente à medicação para a diabetes e monitorização da glicemia.
  • Esteja atento a sinais de hiperglicemia (tais como urinar mais do que o normal, especialmente à noite; sede em excesso; dores de cabeça; cansaço e letargia).
  • Monitorize a glicemia frequentemente ao longo do dia e da noite (geralmente, a cada 2–3 horas).
  • Mantenha-se hidratado.
  • Se a glicemia for inferior a 70 mg/dL (3,9 mmol/L) ou abaixo do intervalo alvo, ingira 15 gramas de hidratos de carbono simples que sejam fáceis de digerir (ex.: mel, geleia, doces, gelados, sumo ou refrigerantes). A glicemia deve ser verificada no espaço de 15 minutos para garantir que os níveis de açúcar estão a subir.
  • As cetonas devem ser verificadas se os níveis de glicose no sangue forem superiores a 240 mg/dL (13,3 mmol/L) duas vezes seguidas. Deve consultar o seu médico imediatamente se tiver cetonas médias ou elevadas (e se tiver instruções para o fazer mediante vestígios de cetonas ou cetonas baixas).
  • Confirme a precisão dos sensores de monitorização contínua de glicose (CGM) através da realização de testes de automonitorização da glicemia, pois alguns são afetados por acetaminofeno/paracetamol.
  • Deve lavar as mãos e limpar com água e sabão ou esfregar com álcool os locais de injeção/perfusão e da picada no dedo.
  • Limite a sua atividade se tiver um nível de glicemia superior a 250 mg/dL e cetonas moderadas a elevadas.

Para mais orientações, por favor consulte as “Recomendações para Dias de Gripe e Doença” do CDC  aqui.

O nosso compromisso com os doentes e comunidades onde atuamos permanece inalterado e o nosso foco durante esta época sem precedentes é salvaguardar a saúde dos nossos colaboradores e doentes.

Reconhecemos o impacto da pandemia global de COVID-19 na vida das pessoas em todo o mundo, incluindo nas pessoas com obesidade.

De acordo com as orientações das autoridades de saúde locais, as pessoas não devem interromper qualquer tratamento médico que estejam a receber (incluindo medicação para a obesidade) sem falar previamente com o seu prestador de cuidados de saúde.

As pessoas com obesidade devem manter a atividade física de acordo com as orientações das autoridades de saúde locais e garantir o distanciamento físico.

Para recomendações gerais sobre atividade física e alimentação saudável durante a crise de COVID-19, recomendamos que as pessoas com obesidade sigam as orientações dos profissionais de saúde e associações profissionais qualificadas.

Reconhecemos o impacto da pandemia global da COVID-19 na vida de pessoas em todo o mundo, incluindo pessoas com obesidade. Recomenda-se que as pessoas com obesidade sigam as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades locais se suspeitarem de sintomas de COVID-19.

De acordo com a orientação das autoridades de saúde locais, as pessoas não devem interromper qualquer tratamento médico que estejam a receber (incluindo medicação anti-obesidade) sem falar previamente com o seu prestador de cuidados de saúde.

O nosso compromisso com os doentes e comunidades onde atuamos mantém-se inalterado e o nosso foco durante esta época sem precedentes é salvaguardar a saúde dos nossos colaboradores e doentes.

Todos devem seguir as mesmas recomendações que foram emitidas pelas autoridades de saúde pública para reduzir a exposição ao vírus, incluindo lavar frequente e minuciosamente as mãos por um perído mínimo de 20 segundos, praticar uma boa higiene e evitar o contacto com pessoas que não estão bem de saúde.

Continuamos a prestar apoio a doentes em todo o mundo. Atualmente, não estamos a ter quaisquer problemas de fornecimento e os nossos stocks estão em níveis normais. Estamos bem preparados para situações como esta e temos uma política de armazenamento que assegura o fornecimento a longo prazo. Isto é importante, uma vez que estamos a lidar com medicamentos essenciais de que doentes em todo o mundo dependem diariamente.

À medida que a situação global evolui, estamos focados em garantir que os nossos doentes continuam a ter acesso aos medicamentos de que necessitam.

A Novo Nordisk está empenhada na sua responsabilidade e contribuição para a saúde global e fornecerá apoio e recursos atempadamente no âmbito da resposta coordenada à COVID-19.

Por favor siga esta página para atualizações sobre esta informação.

Não existem atualmente dados que indiquem qualquer impacto na toma dos nossos medicamentos (ex., agonistas do recetor GLP-1 ou insulinas) em pessoas com diabetes ou obesidade que ficam infetadas com COVID-19.

A saúde e o bem-estar dos nossos doentes durante a crise de saúde provocada pela Covid-19 estão no centro de tudo o que fazemos.

Estamos empenhados na nossa responsabilidade e contributo para a saúde global e forneceremos apoio e recursos atempados na resposta coordenada à COVID-19.

Por favor siga esta página para atualizações sobre esta informação.

Esta informação é de sensibilização geral para a doença e não deve ser entendida como aconselhamento médico. Se tiver sintomas de COVID-19 ou questões, dúvidas ou preocupações, deve contactar o seu médico. Siga sempre as recomendações das autoridades locais.

Para preparar as nossas perguntas frequentes para pessoas que vivem com diabetes e obesidade, consultámos as seguintes fontes:

  • CDC. Pessoas em Risco Elevado de Complicações da Gripe. Disponível em: https://www.cdc.gov/flu/highrisk/index.html. Consultado/acedido pela última vez: março de 2020.
  • CDC. Pessoas que estão em risco acrescido de doença grave. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/need-extra-precautions/people-at-higher-risk.html?CDC_AA_refVal=https%3A%2F%2Fwww.cdc.gov%2Fcoronavirus%2F2019-ncov%2Fspecific-groups%2Fhigh-risk-complications.html. Consultado pela última vez: abril de 2020.